FloripAmanhã leva para o México a experiência da Capital catarinense como Cidade Criativa

Florianópolis vai realizar um intercâmbio com a cidade de Mazatlán, no México, sobre a questão de energias alternativas e do destino do lixo.

Essa foi uma das resoluções tomada durante a Reunião Internacional UNESCO/Mazatlán – “Criatividade e turismo cultural para o desenvolvimento urbano sustentável” – que aconteceu de 5 a 7 de junho, em  Mazatlán. A presidente da Associação FloripAmanhã, Anita Pires, participou do encontro a convite da UNESCO para mostrar o case de Florianópolis como Cidade Criativa UNESCO da Gastronomia.

“Eles fizeram uma solicitação sobre a possibilidade de trabalharmos juntos no que diz respeito ao uso de  energias alternativas, que eles não têm, e sobre a questão do lixo, que eles ainda jogam em lixão”, conta Anita Pires. De acordo com ela, será feita agora uma reunião com os setores público e privado da Capital catarinense que trabalham com energia alternativa, sob a coordenação do diretor da Eletrosul, Jaime de Souza e a colaboração do ex-presidente da Comcap, Marius Bagnati.

 

Desenvolvimento e associativismo

Florianópolis participou do painel Desenvolvimento Urbano Sustentável e Turismo, onde apresentou o trabalho de Cidade Criativa UNESCO da Gastronomia. “Apresentamos os desafios, avanços e dificuldades que enfrentamos”, destaca Anita Pires. “O que fazemos em relação ao turismo, como trabalhamos a questão da baixa estação e também a questão da sustentabilidade. Ficaram muito impressionados quando disse que Florianópolis tem 52% de APP (Área de Preservação Permanente)”, completa.

A presidente da FloripAmanhã ressalta que o maior interesse dos mexicanos em relação a Florianópolis é a forma como é desenvolvido o trabalho de governança na cidade. “Demos bastante enfoque àquilo que é o nosso segredo, nosso patrimônio social, que são as entidades, a capacidade de trabalhar em rede com entidades associativas, terceiro setor, setor empresarial, sindical, a cadeia de hotéis. Eles ficaram bastante impressionados com isso”.

Durante o painel também foi apresentado o trabalho realizado pela Acate (Associação Catarinense de Tecnologia) e como as empresas atuam no desenvolvimento sustentável da cidade. Todas as informações vão subsidiar a cidade de Mazatlán, que está solicitando a chancela da UNESCO como cidade criativa. Para Anita Pires, a participação na reunião foi uma oportunidade de conhecer cases de outras cidades e mostrar Florianópolis para o mundo.

Fonte: FloripAmanhã.